Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Hai-kai do joelho esfolado

February 27, 2014

Tirar casquinha de machucado.

Por que tão bom?

Por que tão errado?

Classificados

October 3, 2013

Agora que eu sou dessas que olham casas por aí, fui olhar o jornal de domingo. Imóvel vai, imóvel vem e ali, no meio da coluna do Prado, por um desses acasos sutis e maravilhosos, estava a casa onde cresci. Foi um susto. Primeiro, pelo inusitado de achar minha casa no único classificados que eu já li na vida. Segundo, pela frieza imobiliária da descrição, coitada.

O anúncio é exatamente assim:

CASA

Al. casa à R. Tal, número tal, c/var., sl, cp, 04qts (1suíte), bh, coz, quintal, lavand, DCE, etc.

Quando deveria ser assim:

CASA

Jardim na frente com pinheirinho de verdade, onde dá pra colocar pisca-pisca no Natal. Janelas grandes de madeira e sem grades. Quarto de brinquedos com piso geladinho ótimo pra deitar quando está quente. Terreiro de cimento verde nos fundos bom pra estender roupa de cama no varal, brincar de mãe-da-rua e andar (em círculos) de bicicleta e de patins. Suíte escondida dentro do armário dos seus pais. Bidês, em todos os banheiros.

❤ Saudade, casinha! Espero que os futuros inquilinos tenham cachorros e plantem mini-rosas no jardim.

Extra: existe gente escrota

August 17, 2013

Alô, moço do Palio prata, que bateu na traseira do carro da minha mãe e fugiu. Eu fiquei com muita raiva, mais pela fugida e menos pela batida. Gastei um bocado de lágrimas, muitas batidas de coração e algumas horas de um feriadão remoendo a ideia de como uma pessoa deixa a outra na mão desse jeito e foge, no seu Palio prata, em nome de um bafômetro aqui ou uma franquia de seguro ali. Talvez eu ainda gaste algumas mais. Mas como a Lu falou (talvez com outras palavras, certamente mais bonitas e acalentadoras) não vale a pena alimentar ódio em cima disso. Por isso, eu não te desejo nada de ruim.

Mas assim, nem me importo se uma tempestade de granizo cair em cima do seu Palio prata.

E fiz uma macumba online, just in case.

Religião: atleticana não praticante

July 25, 2013

Muito bonito isso do Galão ser da massa. Mesmo no meio do caos do trânsito, da buzinaiada e do foguetório, eu acho muito emocionante. O trocador com a touquinha do galo, o entregador de jornal com um bandeirão maior que a moto, o atendente da farmácia de bairro (espremida entre a Araújo, a Raia e a Pague Menos) que estende a faixa de campeão pra todo mundo que passa, as pesquisadoras chiquésimas aqui do Ceale enlouquecendo no Facebook.

Eu, que nem pratico esses trem de futebol, fiquei toda orgulhosa de ser galo doido.

 

Noites de agito e badalação

July 6, 2013

Na semana do refluxo do caos em Beagá, meu inconsciente mostra que ainda tá digerindo tudo o que vem acontecendo. Primeiro, sonhei que estava fugindo de carro do povo do Fora Lacerda. O sonho tinha aquelas super cenas de ação: eu dirigindo em super velocidade com a porta do passageiro aberta, o Luiz entra, a gente dá uma derrapada e cai na estrada. No dia seguinte, sonhei que estava voltando da manifestação na Antônio Carlos, mas a PM tinha fechado todas as saídas e levado as pessoas a entrar em câmaras de gás. Ontem, pra completar, sonhei que estava dançando quadrilha na ocupação da câmara.

Muito sintomático.

Vidaboa

June 3, 2013

Vira e mexe eu lembro que esse blog existe, mas eu vou falar a verdade aqui: de repente, a vida ficou muito boa pra ficar escrevendo em blog. Claro que muita coisa continua igual: eu ainda perco muito tempo, enrolo, perco prazos e durmo além da conta. Mas toda a culpa do mundo foi embora junto com a defesa de mestrado. Eu até ando recomendando para as pessoas fazer mestrado mesmo, que é pra valorizar mais as cachoeiras, os filmes, os papos de bobeira e as cervejas com a mãe.

Enfins, Brasil. A vida taí, toda saidinha. 🙂

 

Só mais uns dias

March 29, 2013

Um resumo dessa semana-amiga, a última do mestrado, a que antecede a liberdade e a juventude.

1. O Office não funciona.

Aí eu pago r$60 pra instalar um Office pirata. Ok, o Office pirata é maravilhoso (ei, Microsoft, vaitomarnocu).

2. A internet lá de casa não funciona. 

Aí eu vou pra biblioteca e descubro que a minha carteirinha da biblioteca desapareceu misteriosamente de dentro da carteira. O porteiro, é claro, não me deixa entrar. Eu começo a chorar e maldizer o cosmos enquanto me ajeito pra passar o dia trabalhando na salinha do café. O porteiro se compadece e me deixa entrar, mas já avisa que se eu não achar a carteirinha, nada de biblioteca pra mim no resto do feriado. Aí eu viro de novo a hóspede inoportuna na casa do Nuno, coitado, enquanto ele viaja. Ok, estou aqui com uma internet mara e a companhia fofíssima da gata-Nininha, minha nova BFF.

3. Meu intestino não funciona.

Aí é comer mamão e orar, né, fazer o quê.

4. Meus hormônios, esses sim, funcionam direitinho e resolveram aderir à TPM com muito amor.

Poxa, cosmos, dá uma ajudinha aí, vai.

 

UPDATE: Susan Miller explica!!!

“Things are about to get a bit harder before they get easier. The hardest full moon of 2013 will arrive in Libra, March 27, but will influence the entire week, from March 23 to April 1. All full moons have an area of influence of four days before and after the full moon arrives.”

JÊNIA do zodíaco. NU.

Gente que inspira

March 14, 2013

Uma das minhas metas para 2013 é “saber quem são minhas referências”. Meu drama de não ter referências começou no fim do ano passado, quando uma repórter fofíssima me ligou pra escrever um mini-perfil. Entre questões como “com o que você trabalha” e “o que você gosta de fazer”, veio a fatídica “e quem são as pessoas que te inspiram?”. Pausa dramática ao telefone, branco total. Eu não sabia enumerar nenhuma pessoa que me inspira. COMO ASSIM, Brasil, ninguém me inspira? É muita pobreza de espírito.

 

Foi assim que começou minha jornada existencial work in progress em busca de inspirações, referências pessoais, gente que faz.  Jornada que você acompanha aqui, no Selvagem, em tempo real e com a exclusividade que nenhum pay-per-view pode proporcionar:

 

1. Lili

Lilimafalda

Depois que a Sasha me perguntou quem eram as pessoas que me inspiravam, eu só conseguia pensar na Lili – mas achei que ela ainda não era famosa o suficiente pro público da Gloss. A Lili foi da minha turma de mestrado (uma turminha mara, por sinal). Além de ser competente em absolutamente qualquer trabalho, a Lili é linda, sensata, entende as piadas, faz piadas melhores, é uma companhia incrível e me ensinou coisas muito importantes, como a importância de se avaliar as coisas em termos de processo – e não de resultado. Enfim, a Lili é uma dessas pessoas especiais, que o mundo tem muita sorte em ter dentro dele.

Inspire-se: a Lili é desse povo que recita Drummond pra crianças aleatórias de Diamantina!

2. Jean Willys

jan

Ele participou de um BBB. Ele GANHOU um BBB. Ele foi eleito deputado federal do estado do Rio, pelo PSOL. Ele milita pela causa LGBT e faz pronunciamentos super sensatos e bem elaborados. Ele enfrenta com muito orgulho, com muito amor, a bancada evangélica na Câmara. É muito improvável, gente. É muito necessário. É muito amor.

Inspire-se: Tapa na cara de Danilo Gentili & companhia!

3. Laerte

sonia

Pense num cartunista massa. Só por fazer quadrinhos ótimos, com um tipo de humor sutil e maravilhoso, o Laerte já poderia ser referência pra muita gente. Agora pense num cartunista massa, famoso e reconhecido, que decide, aos seus 40 e poucos anos, que é cross-dresser e passa a assumir a identidade de Sônia. É ousado, é revolucionário, é sucesso total. Chupa, matriz heteronormativa. Arrasou, Laerte!

Inspire-se: Laerte dando um banho de classe num jornalista bobão da Folha.

4. Merrill Garbus

images

Foi no ano passado que o Nuno me mostrou um dos clipes mais legais dos últimos tempos (esse aqui, ó). Depois de muito tempo fuçando pra saber quem era o GÊNIO por trás das crianças coreografadas e do conceito mara de maquiagem, descobri que (YES!) era uma gênia: essa moça, Merrill Garbus. Acontece que crianças e maquiagem eram só o começo. Merrill foi quem inventou essa banda maravilhosa chamada tUnE-yArDs (assim mesmo, em miguxês). Além de fazer letras absurdas e lindas, Merrill é desse povo que pega um sampler e uns pedais, coloca bateria, efeitos vocais bizarros, traz um baixista e um saxofonista e faz as músicas mais incríveis do mundo. Pra completar, ela tem um corte de cabelo lindo. Como não amar?

Inspire-se: Vídeo de um mini-show do tUnE-yArDs, impossível não querer ver um milhão de vezes.

O ano das maravilhas

March 1, 2013

2013 taí, minha gente, e parece ter vindo com tudo! Antes que chegue o Natal, vou colar aqui minhas metas (sim, metas) para esse chuchuzinho em formato de delimitação temporal. A ideia é pensar nelas de vez em quando, cortar algumas, aumentar a lista, dar uns checks, etc. Essas coisas de gente sistemática que tanto alegram o meu coração.

ANUNCIO ASSIM QUE, EM 2013, EU VOU:

Terminar uma dissertação razoável em fevereiro, cumprindo os prazos do cronograma. Haha, essa já era. Vou trocar para:

Terminar uma dissertação razoável, ponto. FEITO! UHUUUUU!

(Não só terminei, como tive uma banca inacreditável de tão divertida)

– Fazer o circuito Athenas e correr 10K no fim do ano;

– Continuar correndo no mínimo 2X por semana;

– Chegar na minha faixa de peso saudável (minha meta quantitativa é 60 kg) e não sair dela;

– Ir pra Chapada Diamantina;

– Viajar mais nos fins de semana;

– Fazer frilas legais;

Arrumar um emprego que acabe às 18h e que me deixe feliz; FEITO!

(Um emprego de 30h semanais, que é a quantidade máxima que todo cerumano deveria trabalhar)

Cortar o cabelo joãozinho! FEITO!

(Saí da cabelereira livre, leve e solta, me sentindo assim, muito mulher. E achei que ficou lindo! <3)

– Sair da casa da minha mãe;

– Ter um poeta preferido;

– Saber quem são minhas referências;

– Ler literatura fora do ônibus;

– Andar mais de bicicleta.

Valen-dô.

Queremos carne!

February 20, 2013

“Não é o fato de o texto ser insípido e aborrecido que o torna acurado. Muitas vezes, os cientistas sociais acreditam que o “estilo objetivo”, no sentido de uns poucos truques gramaticais como a voz passiva, o “nós” majestático e uma pletora de notas de rodapé, camuflará milagrosamente a falta de objetos. O molho espesso do “estilo objetivo” não consegue esconder por muito tempo a ausência de carne. Mas, se você tem carne, poderá acrescentar a ela alguns condimentos – ou não.” 

Yes, Latour, yes!