Posts Tagged ‘ateuvapassa’

Hai-kai do joelho esfolado

February 27, 2014

Tirar casquinha de machucado.

Por que tão bom?

Por que tão errado?

Extra: existe gente escrota

August 17, 2013

Alô, moço do Palio prata, que bateu na traseira do carro da minha mãe e fugiu. Eu fiquei com muita raiva, mais pela fugida e menos pela batida. Gastei um bocado de lágrimas, muitas batidas de coração e algumas horas de um feriadão remoendo a ideia de como uma pessoa deixa a outra na mão desse jeito e foge, no seu Palio prata, em nome de um bafômetro aqui ou uma franquia de seguro ali. Talvez eu ainda gaste algumas mais. Mas como a Lu falou (talvez com outras palavras, certamente mais bonitas e acalentadoras) não vale a pena alimentar ódio em cima disso. Por isso, eu não te desejo nada de ruim.

Mas assim, nem me importo se uma tempestade de granizo cair em cima do seu Palio prata.

E fiz uma macumba online, just in case.

Só mais uns dias

March 29, 2013

Um resumo dessa semana-amiga, a última do mestrado, a que antecede a liberdade e a juventude.

1. O Office não funciona.

Aí eu pago r$60 pra instalar um Office pirata. Ok, o Office pirata é maravilhoso (ei, Microsoft, vaitomarnocu).

2. A internet lá de casa não funciona. 

Aí eu vou pra biblioteca e descubro que a minha carteirinha da biblioteca desapareceu misteriosamente de dentro da carteira. O porteiro, é claro, não me deixa entrar. Eu começo a chorar e maldizer o cosmos enquanto me ajeito pra passar o dia trabalhando na salinha do café. O porteiro se compadece e me deixa entrar, mas já avisa que se eu não achar a carteirinha, nada de biblioteca pra mim no resto do feriado. Aí eu viro de novo a hóspede inoportuna na casa do Nuno, coitado, enquanto ele viaja. Ok, estou aqui com uma internet mara e a companhia fofíssima da gata-Nininha, minha nova BFF.

3. Meu intestino não funciona.

Aí é comer mamão e orar, né, fazer o quê.

4. Meus hormônios, esses sim, funcionam direitinho e resolveram aderir à TPM com muito amor.

Poxa, cosmos, dá uma ajudinha aí, vai.

 

UPDATE: Susan Miller explica!!!

“Things are about to get a bit harder before they get easier. The hardest full moon of 2013 will arrive in Libra, March 27, but will influence the entire week, from March 23 to April 1. All full moons have an area of influence of four days before and after the full moon arrives.”

JÊNIA do zodíaco. NU.

Top 5 músicas de auto-ajuda

November 6, 2012

Curtir fossa é preciso, viver não é preciso. Mas depois de sofrer muito com aquela rasteira do cosmos, sempre chega o momento de tirar a coletânea da Elis do Mp3 e ser feliz de novo. É por isso que o Selvagem, sempre antenado nas tendências do mercado e imbuído do espírito de amor ao próximo, selecionou cuidadosamente uma listamiga de 5 pérolas da auto-ajuda musical. A ordem de apresentação das músicas na lista segue o espectro de melhoria do humor e da vontade de viver – além de, é claro, ir da piorzinha para a mais legal.

Divirta-se!

5 – Felicidade – Marcelo Jeneci

Essa música é muito chata, de tão do bem. No minuto 1’23” do clipe, se você prestar atenção, aparece até um ursinho carinhoso em cima da árvore, fazendo joinha para a Laura. Mas ela é super recomendada pro momento seguinte à fase de chafurdar na lama, quando você começa a perceber que existe vida após a fossa.

 

4 – Copo vazio – Gilberto Gil

Representante sombrio da lista, o quarto lugar oscila entre a auto-ajuda e a fossa total. Um copo vazio está cheio de ar, com toda a ambiguidade que o sotaque baiano do Gil é capaz de trazer. Afinal, nenhuma recuperação é 100% raios de sol e amor: tem sempre uma porcentagem de vazio existencial, né.

(Ficou curioso em saber por que deus esse vídeo traz cenas do Paris-Texas? Eu também.)

 

3 – Coração tranquilo – Walter Franco

A mais fofinha da seleção. É tipo um mantra, que o Walter Franco compôs e gravou num disco sugestivamente chamado de Respire Fundo. A versão do Pato Fu é demais também, mas a pose marota do Walter na foto do video alegra qualquer coração. Fora o poder de auto-sugestão da repetição eterna, incrivelmente efetivo.

 

2 – Os pingo da chuva – Novos Baianos

Essa é pra ligar o som bem alto e ir tomar um banho, gritando com a Baby no chuveiro: “É os pingo da chuva me molhaaaar!”. Além disso, “só está faltando fósforo” é um dos melhores conselhos que eu já ouvi na vida. Perdeu o emprego? Já já arruma outro, bobo, só está faltando fósforo. Ela te deixou? Ah, não preocupa, só está faltando fósforo. Daqui a pouco as coisas se ajeitam. Tá meio abatida? Só está faltando fósforo, vem cá, come uma banana.

 

1 – Fill your heart – David Bowie

Vários conselhos motivacionais reunidos numa música incrível, com um pianinho mara e o Bowie arrasando nos agudos. Não é à toa que Fill your heart ganhou o primeiro lugar. É o momento da reconciliação com o cosmos: você sabe que vai recuperar o amor próprio quando dá o play e é tomado por uma vontade louca de sair dançando na rua, na chuva, na fazenda, na velocidade 5 do créu. ❤

Uma despedida.

July 5, 2012

Meu avô fazia as unhas. Fico pensando nisso, “meu avô fazia as unhas”. Ele perdeu uma perna e fazia as unhas. Ele usava fralda geriátrica e fazia as unhas. Ele conversava sozinho no telefone e fazia as unhas. Não era só isso, claro. Ele sempre passava (muito) perfume e usava um anelão dourado no mindinho, mesmo quando estava no hospítal. Micro-gestos de vaidade, né. Pensar nisso é uma das coisas que mais me deixam triste, porque qualquer mini-vaidade é um sinal de que a pessoa ainda se importa em estar viva. Meu avô, aquele homão meio Antônio Fagundes, precursor dos genes barraqueiros da família, foi diminuindo com o tempo, até ficar bem magrinho e velhinho. De unha feita e anelão, claro. Mas tão magrinho…

Nunca fomos muito próximos, nós dois. Mas vou lembrar pra sempre que ele fazia as unhas.

Da minha relação com o cosmos

September 1, 2010

Já comentei nesse blog o quanto eu e o cosmos somos ligados, da minha vocação para redatora de horóscopo, etc. Hoje me lembrei de um detalhe que há muito não me ocorria: o cosmos é tinhoso. É muito simples a explicação. Às vezes – e só às vezes – ele arranja tudo muito direitinho. As coisas no lugar, a cabeça no lugar, tudo milimetralmente convergindo. Uma orquestra astral, um chuchuzinho de conjuntura. Tão certo, tão cremoso, tão de encher o peito de alegria, que a gente perde as amarguras e as reservas.

Aí ele vem sorrateiro, satisfeito, muito cheio de si, e puxa o tapete da vida com uma vontade de dar inveja a qualquer episódio de Tom e Jerry. Na maioria das vezes, a conjuntura não deixa de ser favorável – mas é acrescentado ao decorrer das coisas um ou outro detalhe desses sórdidos. Irônicos. Feios. Mais nojentos que uma família de ratos de esgoto no ponto de ônibus.

Essa semana, o cosmos puxou meu tapete. Aposento por tempo indeterminado nossa conexão.