Posts Tagged ‘é tudo verdade’

Hai-kai do joelho esfolado

February 27, 2014

Tirar casquinha de machucado.

Por que tão bom?

Por que tão errado?

Advertisements

Classificados

October 3, 2013

Agora que eu sou dessas que olham casas por aí, fui olhar o jornal de domingo. Imóvel vai, imóvel vem e ali, no meio da coluna do Prado, por um desses acasos sutis e maravilhosos, estava a casa onde cresci. Foi um susto. Primeiro, pelo inusitado de achar minha casa no único classificados que eu já li na vida. Segundo, pela frieza imobiliária da descrição, coitada.

O anúncio é exatamente assim:

CASA

Al. casa à R. Tal, número tal, c/var., sl, cp, 04qts (1suíte), bh, coz, quintal, lavand, DCE, etc.

Quando deveria ser assim:

CASA

Jardim na frente com pinheirinho de verdade, onde dá pra colocar pisca-pisca no Natal. Janelas grandes de madeira e sem grades. Quarto de brinquedos com piso geladinho ótimo pra deitar quando está quente. Terreiro de cimento verde nos fundos bom pra estender roupa de cama no varal, brincar de mãe-da-rua e andar (em círculos) de bicicleta e de patins. Suíte escondida dentro do armário dos seus pais. Bidês, em todos os banheiros.

❤ Saudade, casinha! Espero que os futuros inquilinos tenham cachorros e plantem mini-rosas no jardim.

Vala-BH

January 13, 2013

Aí ontem eu disse: vou sair de noite. Não faço isso há muuuuuuito tempo, sair mesmo, ficar até de madrugada, dançar demais, paquerar (por esporte, claro), acordar de ressaca e rímel borrado. A proposta era perfeita: sessão Líder FM em casa noturna descoladinha, dançar Timbalada até as pernas doerem com companhias ótimas e voltar morta e feliz pra encarar o domingão. EBA!

Depois que terminou de passar “O homem que copiava” na TNT, fui fazer o ritual. Experimentei TODAS as roupas da casa (minha casa tem três mulheres, quando eu digo TODAS, eu quero dizer DAS TRÊS) e constatei que eu preciso comprar roupas urgente (minhas roupas de 10 quilos atrás me deixam todas com cara de evangélica/maria mijona/paciente de hospital). Ok, minha irmã e eu achamos uma blusa (dela!) que caía milagrosamente bem. Maquilei toda-toda e fui.

Saldo da noite:

– Casa de amigos = Meia hora + 1 iogurte de côco + três copos de cerveja

– Fila na porta dA Casa = Cinquenta minutos + um saco de pipoca

– Desistir dA Casa e da fila e pensar onde a gente ia dançar all night long = vinte minutos

– Cerveja no buteco copo sujo mais próximo: uma hora + batata frita + cinco copos de cerveja

E às 2h, quando eu papeava com o taxista o quanto devia ser difícil trabalhar à noite, ele me respondia: “é, minha filha, voltando a essa hora, dá pra perceber que ia ser difícil pra você, mesmo”.

Fim.

Sair de noite, que ideia a minha.

Published

January 4, 2013

Desativei de novo minha conta do Facebook. Dessa vez, depois da chantagem emocional de praxe, ele me pediu pra escrever aquelas palavras ilegíveis de confirmação. E uma delas era “published”!
Interpretei como um bom presságio e larguei o feice feliz da vida.

E esse é o tipo de coisa que eu escreveria lá.

Diálogos com Fred

October 30, 2012

– Eu acho é que eu preciso dar mais raça nessa dissertação, sabe?

– Dar mais o quê?

– Mais raça.

– …

 

Duvido que alguém acha um sinônimo para “dar raça” que não varie entre os jargões jovens “dar um gás” e “meter as cara”. E que seja inteligível por um analista de meia idade, claro.

 

Poema-desespero-concreto

June 20, 2012

Pensa, cabeça
Pensa, cabeça
Escreve, dedo
Fecha, pestana
Dorme um tiquinho
Acorda com o rosto marcado
Come biscoito piraquê
Pensa, cabeça
Olha o e-mail
Escreve, dedo
Pensa, cabeça
Procura melão na geladeira
Não acha melão
Come biscoito piraquê
Pensa, cabeça
Escreve, dedo
Pensa, cabeça

Garotinha juvenil

July 14, 2011

Lá no meio dos textos antigos de Teorias da Comunicação, um verbete sobre “Teorias da Comunicação na Europa”.

Meu deus, eu era uma freak.

Em Sampaulo

June 30, 2011

Madrugada do dia 1, cai um bacon do sanduíche compartilhado.

A – Porra, Carol, logo o bacon!

Tarde do dia 3, no Masp.

B – Você pode abrir a bolsa por favor?

C – Claro. [Mostra a bolsa] Ai, moça, quê isso?

B – Acho que é um bacon.

Psicografia do 5S no banheiro da Face

May 18, 2011


Mini-reflexão sobre metas e ambições

April 25, 2011

Perceba, amigo leitor, como as metas são diferentes das ambições. Metas são coisas definidas, que a gente inventa pra poder alcançar. “Terminar de ler meus textos até junho”, “Ir à academia três vezes por semana”, “Vender 70% de eletrodomésticos a mais que o concorrente”. Todos exemplos de metas, essa palavrinha fria, dissílaba e sem graça. Já as ambições (ah, as ambições…) são muito mais legais: você simplesmente as estabelece, sem compromisso nenhum de chegar a elas um dia. Claro que seria muito doido se conseguisse, mas é mais provável que você as esqueça no meio do caminho. Eu sou uma pessoa de ambições pequenas. Na minha atual lista top 3 ambições para o outono, formulada algumas horas atrás em uma viagem de ônibus, figuram três:

1) Saber tudo sobre os situacionistas e a contracultura dos anos 60;

2) Zerar o jogo da cobrinha do celular;

3) Decorar a letra de “Capítulo 4, Versículo 3”, dos Racionais.

Não necessariamente nessa mesma ordem, é claro.